segunda-feira, 10 de julho de 2017

Diz-me, poderás tu vir ao meu encontro

Imagem relacionada
Diz-me, como posso eu chegar até ti
Por entre nevoeiros tão intensos,
Receber-te em meio peito seria perfeito
Para confidenciar-mos coisas banais
Outras nem por isso. Quero muito mais
Que uma simples conversa sem jeito
.
Diz-me, que posso fazer para te encontrar
No meio deste nevoeiro tão teimoso
Faz-me recordar intensos momentos,
Em que a tristeza chegava sem contar
E meu coração vivia desassossegado
Mesmo sabendo que um dia irias chegar
.
Diz-me, poderás tu vir ao meu encontro
E se o nevoeiro te deixar caminhar, 
Encontrar-me-ás neste banco vazio
Onde depositei todas as lembranças
Aquelas, que fizeram meu coração sonhar
E me deixaram esperar mas com perseverança.
***
Cidália Ferreira

27 comentários:

  1. Querida Cidália
    Belo poema!
    É mesmo assim que devemos fazer: esperar sempre para alcançarmos aquilo que pretendemos.
    Um beijinho
    Beatriz

    ResponderEliminar
  2. Maravilhoso poema amiga!
    A repetição: Diz-me...dá ênfase ao poema, tornando-o mais intenso e poderoso.
    A imagem é nostálgica mas divina.
    Um xi coração gigante e feliz semana

    ResponderEliminar
  3. Sempre há uma esperança,mesmo sabendo da demora para encontrar àquele que desejamos ver.
    Lindo poetar amiga Cidália.
    Bjs e uma feliz semana.
    Carmen Lúcia.

    ResponderEliminar
  4. mais um poema mt bonito é uma pergunta que por vezes ficamos sem resposta mas que lave sempre a pena a fazer pois quem sabe teremos a resposta adorei como sempre bjs bs

    ResponderEliminar
  5. Um poema lindo! Diz que quem espera sempre alcança! :) Beijinhos e boa semana.
    --
    O diário da Inês | Facebook | Instagram

    ResponderEliminar
  6. Tanta vez se fica sem resposta...

    Excelente poema.
    Amei!

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  7. A imagem é linda,adorei o poema.
    Beijinhos e boa semana

    ResponderEliminar
  8. Lindo poetar por aqui, a imagem é linda, ter esperança é mesmo uma alternativa para se continuar!
    Abraços apertados!

    ResponderEliminar
  9. Que bonito poema
    https://retromaggie.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  10. Olá Cidália.
    Gostei muito deste teu poema, com o teu canto sobre o amor.
    Uma ótima semana.
    Um beijo.
    Pedro

    ResponderEliminar
  11. Querida Cidália,

    Na tua bela e admirável arte do soneto, a cantar o
    amor e a espera deste amor... Lindo!
    Semana luminosa...
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  12. Cara amiga poetisa Cidália, estás a nos proporcionar, através deste poema, um belo momento lírico. Um abraço daqui do sul do Brasil. Tenhas uma boa tarde.

    ResponderEliminar
  13. Oi Cidália,
    Com esforço, muita perseverança, chegaremos ao nosso objetivo. Lutar sem esmorecer.
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderEliminar
  14. Lindo questionamento! bjs praianos,chica

    ResponderEliminar
  15. Um belíssimo poema, no qual se deposita, uma esperança num novo encontro...
    Como sempre, emoção e sensibilidade no seu melhor!
    Adorei este poema, tão pleno de esperanças e lembranças!
    Beijinhos! Continuação de uma feliz e inspirada semana!
    Ana

    ResponderEliminar
  16. Boa noite, querida Cidália
    que bonito poema, quem ama não cansa de esperar por aquele que vem, mesmo sem sabermos em que tempo vai chegar não deixaremos de esperar, um poema que faz ODE ao amor. Lindo! Beijos!

    ResponderEliminar
  17. Lindo,querida amiga Cidália!

    Esperar por um amor é sempre maravilhoso porque a esperança nunca deve terminar em nossos corações!Sem pressa ou tempo de chegar,o amor virá!

    Beijos sabor carinho e lindo finalzinho de noite !

    Donetzka

    ResponderEliminar
  18. Boa noite querida!
    A minha visita hoje é para lhe parabenizar pela linda postagem e desejar-lhe uma noite de paz e um amanhecer feliz.
    Abraços, Profª Lourdes Duarte.
    https://filosofandonavidaproflourdes.blogspot.com.br/
    http://professoralourdesduarte.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  19. Que todas as esperas terminem um dia em doces chegadas.
    Belissimo poema
    Beijinhos
    Maria de
    Divagar Sobre Tudo um Pouco

    ResponderEliminar