quinta-feira, 19 de abril de 2018

As lembranças...

Foste embora, deixaste aquela saudade
Daquele momento onde a ti me abracei
As águas serenavam em pura liberdade
Mas apenas ao silêncio, eu me apeguei
*
As lembranças contigo são o meu apego
Os teus abraços sentidos são o alimento
Daqueles momentos belos, o aconchego
Mas quando te vejo ir... fico em lamento
*
A lua em seu esplendor me fazia cogitar
As estrelas num bailado...luzidia solidão
Como era bom ter-te nos braços e incitar
Mas foste embora, tens a minha gratidão.
****
Cidália Ferreira.

quarta-feira, 18 de abril de 2018

Folga

Imagem relacionada

Por motivos óbvios, hoje, estarei de folga.  Estarei ausente o dia todo. Vou "passear" e arejar as ideias. Não, não estou doente, é só mais uma visita à Invicta... Porto. 


Cidália Ferreira.

terça-feira, 17 de abril de 2018

Bailava meu vestido, alvura acetinada.

Foto de Cidália Ferreira.
Bailava meu vestido, alvura acetinada
Ao som da musica imaginada
Aquela, algum dia oferecida
Pela mais secreta ternura
Por quem meu coração ainda suspira
E por quem me entregaria despida,
Nesta estrada... da loucura
*
Vesti-me a teu gosto em dia de sol
Acredito que vens,
Passam carros, não é ninguém
Ninguém que espere, 
Mas meu coração conformado
Quer ver-te chegar para me abraçares,
São características que sei que tens
*
Bailava meu vestido tocado pela brisa
Sorria meu rosto, ao olha-lo
Eleva-se por vaidade, um gosto meu,
Quando caminhando pelo rumo certo
Esperando que o próximo carro seja o teu
Pressinto, que de mim estás tão perto,
Momento hilariante. Ou talvez indecisa.
***
Cidália Ferreira

domingo, 15 de abril de 2018

Chilreiam os pássaros com o desassossegado violino. [ Poetizando...]

Deambulando pelo jardim, em estado outonal
Onde os raios de sol embelezam a minha alma
Sinto no cheiro das folhas perfume intemporal
Embriagando meu estado, dissipando a calma
*
Chilreiam os pássaros em cânticos tão suaves
Olho, encanto-me com tamanha graciosidade
Desassossegado violino, que ao som das aves
Chora de alegria pela fascinação em liberdade
*
As folhas esvoaçam guiadas de uma leve brisa
O banco vazio esperando outro alguém chegar
Enquanto deambulo pelo jardim... tão sozinha
*
O perfume outonal, as folhas caídas, a Poetisa
E os raios de sol iluminando este meu divagar
Onde meu olhar, espera o teu, que se avizinha.
****
Cidália Ferreira

  

Já não sei quantas vezes eu participei no Poetizando e Encantado, mas, cada vez, é como se fosse a primeira... Orgulho-me em participar. Espero ser do agrado de todos. Bom fim de semana.

sexta-feira, 13 de abril de 2018

Queria...

Queria... que esta viagem  fosse, além
De todos os meus  sentidos e quereres
Chegar ao destino e encontrar alguém
Que me compreendesse...sem pudores
*
Nesta viagem onde só eu posso sonhar
Mesmo que não chegue ao meu destino
Saber que meu sonho é poder acarinhar
O teu sentimento, algures... clandestino
*
Queria tanto lá chegar, onde só tu sabes
Sei que esperas, numa qualquer estação
O meu sentimento, apenas tu o percebes
Mas quero chegar e sentir teu o coração
****
Cidália Ferreira.

quinta-feira, 12 de abril de 2018

Imaginando...

Foto de Cidália Ferreira.
Imaginava eu que pudesse receber
Uma flor tua, perfumada
Num local, algures, à beira mar
Onde a brisa fosse o elixir
O pôr do sol, o encanto,
E nesse momento eu pudesse ser
A tua única amada
Onde ambos poderia-mos ficar
Até um novo amanhecer
Imaginando, o que de melhor pudesse vir
*
Imaginava eu que pudesse acontecer
Aquele carinho um dia prometido
Aquela flor imaculada
Recebida, das tuas mãos abençoadas
Ver o teu rosto sorridente
E teus olhos, como a minha perdição,
Onde por vezes, tão deprimente
Sinto os impulsos do meu coração
Imaginando,
O que entre nós pudesse ter acontecido.
***
Cidália Ferreira.

segunda-feira, 9 de abril de 2018

Memorias partilhadas.

Resultado de imagem para imagens escrevo
São as recordações de uma vida intensa
Memorias boas, sem o direito ao retorno
Vidas partilhadas e momentos de adorno
Causando em mim uma saudade imensa
*
Neste mundo louco em que me obedeço
Entre palavras, sentimentos de saudade
É a escrita, entrelinhas duma realidade
No qual sinto por vezes, que enlouqueço
*
Todas as recordações que tento escrever
Existem algumas que provocam tristeza
Cai a lágrima, são emoções com certeza
Mas apenas o bom me faz seguir e viver
*
Já não tem conta, as palavras que redigi
Sem endereço, apenas para meu coração
Saber que tantas vezes é triste, a emoção
Mas continuarei a escrever apenas por ti.

****
Cidália Ferreira.