segunda-feira, 20 de novembro de 2017

Banco vazio, cansado, sempre esperando

Imagem relacionada
Sobre um banco em abandono de estação
Caem as folhas de uma rotina em tristeza 
Coloridas, ressequidas, e sem a vegetação
Que todos querem, desta tão bela natureza
.
Banco vazio, cansado, sempre esperando 
Novas estórias, segredos, loucos amantes 
Que por ali passam, cansados, observando
O banco vazio, onde se sentam, delirantes
.
Quantas folhas esvoaçam, triste abandono
Quantas pessoas olham e anseiam da vida
Pelos  momentos, que a vegetação convida
.
Os beijos trocados neste banco sem dono.
As juras de amor feitas, e nada foi em vão
Neste banco vazio, onde outrora era verão
****
Cidália Ferreira 

domingo, 19 de novembro de 2017

Bom Domingo

Resultado de imagem para Imagens de reflexão de Domingo

Tudo isto é tão pouco perante aquilo que vocês merecem. Mas hoje, é apenas isto...Desejo-vos um  Domingo, de felicidade plena, junto que quem vos é querido.

Estarei em Família...

Beijinhos mil...

sexta-feira, 17 de novembro de 2017

Gosto de ti...e das tuas palavras exemplificativas.

Resultado de imagem para imagens de felicidade e perdão
O dia levantou-se, comigo, sorriso nos lábios
Quis olhar o sol antes de nascer
Mas denso era o nevoeiro
Frio, de fazer estremecer
Tempo apenas para os mais sábios
Eu prefiro o tempo soalheiro
.
O dia nasceu senti saudades de te falar
De acariciar-te, com quem acaricia uma flor
De mostrar-te o meu sorriso
Que sente, que o teu calor
Me é na verdade, tão preciso
Como o sol, quando resolve encantar
.
O dia nasceu, eu preciso pedir perdão
Pelas névoas que passaram, tão negras
Não são de chuva, nem de vento
São apenas desabafos sem maturação
Desconhecimento infeliz das regras
Mas que uma mudança, quero e tento
.
O dia levantou-se, calmo e sereno, comigo
Esperei o nevoeiro passar, vi o sol sorrir
Aprendi, e barrei as coisas negativas
Porque o mais importante é viver contigo
As flores mais belas, somos tu e eu, a florir
Gosto de ti...e das tuas palavras exemplificativas.
***
Cidália Ferreira.

quarta-feira, 15 de novembro de 2017

Serenam as águas, quando meu desabafo liberto

Imagem relacionada
Na turbulência de um tempo que nunca desejei
Onde minha alma sofre de um passado, destino
Não será de arrependimento, e jamais rastejarei
Porque, existem momentos, em que eu desatino
.
Todas as lágrimas que já secaram por saturação
Deixaram um vazio de uma revolta sem retorno
Refugiei-me no meu mundo ilusório, uma opção
Que arranjei para refletir de todo este transtorno
.
Serenam as águas, quando meu desabafo liberto
Onde surgem as palavras do meu coração aberto
Quando existem momentos de pura  necessidade
.
Tudo será um passado, se o meu coração refletir
Tudo é perdoado, porque se não, estaria a mentir
  Mas de momento, sinto mágoa e muita ansiedade.
****
Cidália Ferreira

segunda-feira, 13 de novembro de 2017

Tenho medo do improvável

Foto de Cidália Ferreira.
Tenho medo...
Tenho medo do improvável
Dos dias nublados, ventosos,
Tenho medo da multidão
Do vazio
Das tempestades, da solidão,
Tenho medo, medo de te perder
Medo do meu acordar
De fazer sofrer meu coração,
Medo no nada, da desconfiança
Medo da minha  própria sombra,
.
Tenho medo das tempestades do mar
Do anoitecer
Medo, de poder ficar sozinha
E da tua pessoa, eu precisar,
Tenho medo de não ver o sol nascer
De ver teu lugar ficar vazio,
Tenho medo das coisas estranhas, anormais
Que não voltes mais
Tenho medo, medo da ingratidão
De ficar sem ti...e não me conseguir erguer,
Tenho medo...
***
Cidália Ferreira.

domingo, 12 de novembro de 2017

Noite atribulada

Imagem relacionada
Dia atribulado na realidade d'meu viver
Onde não consigo ser diferente, do nada
Fico sufocada ao ver o sol desaparecer 
E volto à tristeza nesta noite atribulada
.
Silenciosos ramos secos e entristecidos
Silenciosa noite onde quero sobreviver
Momentos que jamais serão esquecidos
E meu pensamento espera poder-te ver
.
Na noite atribulada e lágrimas sentidas
Sonho de tristeza e alguma turbulência
Nesta noite terrivelmente mal dormida
Onde foi notável tua dolorosa ausência
****
Cidália Ferreira

sexta-feira, 10 de novembro de 2017

Olha-me, meu amor, e diz-me o que sentes.

Resultado de imagem para imagens sensuais  com pérolas
Dispo meu corpo de qualquer preconceito 
Dispo meu pensamento das agruras
Dispo-me sem pudor de qualquer defeito,
Meu corpo, teu alimento, teu desejo
Como pérolas que satisfazem as loucuras
.
Cobre-me de pérolas, desejos meus
Cobre-me de palavras, belas, sensuais
Cobre-me meu amor de carinhos teus
Atende aos meus insanos delírios banais
E não me digas que não, por favor
.
Quero sentir nos teus beijos suaves
Arrepios constantes, doces, cálidos,
Sente meu amor, a minha voracidade
O ritmo, a fragrância, a ternura
Que cada poro que transpira de verdade
.
Quando despida de preconceito, entrego
Desnudado, corpo meu, em liberdade
Isento de qualquer outra maldade,
Cobre-me de pérolas e teus beijos quentes
Olha-me, meu amor, e diz-me o que sentes.
***
Cidália Ferreira.